Homens, Mulheres e Filhos

 

 

O canadense Jason Reitman é um cineasta contemporâneo, expoente do cinema indie, que com sensibilidade e uma certa urgência explora os anseios, medos ou qualquer experiência sentimental que um indivíduo possa ter. Ele é obcecado pelas relações humanas.

 

Dotado de uma extrema versatilidade, ele já narrou sobre juventude e gradivez precoce e indesejada, um conto moral sobre o amor e desilusão, uma adulta imatura que não queria crescer e uma paixão impossível. Dessa vez Reitman cria um mosaico para falar sobre a tecnologia e sua consequente desumanização dos relacionamentos.

 

Com Adam Sandler fazendo um dos poucos papéis decentes na carreira, o filme abusa de diálogos e tomadas irônicas para falar sobre a juventude dispersa com tantas opções e facilidades ao redor e de adultos fracassados sem qualquer auto-estima.

 

Jason Reitman evoca Carl Sagan para mostrar quem realmente somos.