I Origins

 

 

Mike Cahill volta a realizar um filme experimental depois do belo A Outra Terra. Dessa vez um biologista molecular descobre evidências que podem mudar as bases fundamentais da sociedade.

 

Usando de argumento a ciência e a espiritualidade Cahill cria uma obra atemporal e polêmica. Reflexivo e introspectivo, com um roteiro inteligente e recheado de ótimos diálogos é um filme para ser visto sem preconceitos. Tanto os céticos, ateus ou mesmo aqueles que ainda não saíram da Idade das Trevas poderão se sensibilizar com a história. Há que se permitir o inesperado.

 

Caminhando entre a fé e a razão, Cahill faz seu filme mais pessoal. Inquieto e ambicioso, na busca pela verdade é preciso estar disposto a sentir e não apenas pensar.