Interestelar

 

 

Com a inevitabilidade do esgotamento da Terra, um grupo de astronautas recebe a missão de encontrar um planeta habitável para possibilitar a continuação da espécie humana.

 

Após encher os cofres dos grandes estúdios com a trilogia do Cavaleiro das Trevas, Nolan retorna com uma ficcão científica sentimentalista. Ambicioso e corajoso, com um conjunto de tomadas, fotografia e cenários colossais, Nolan entrega uma das maiores experiências visuais da história da sétima arte.

 

No entanto, o excesso de didatismo para abordar conceitos astrofísicos incomoda e a cena final, ainda que audaciosa, parece um tanto forçada.

 

Apesar de abordar argumento espacial, em seu íntimo, Interestelar é mais do que ciência, é sobre as relações humanas. Em seu habitat natural, a razão perde espaço para emoções nada racionais.