Próximo
Próximo
Próximo
Próximo
Próximo
Próximo

Magia ao Luar

 

 

O mestre da simplicidade e verborragia, Woody Allen, continua superando os limites da criatividade humana e nos entrega mais uma película inspiradora de sua vasta carreira.

 

Há mais de (assustadoras) três décadas dirigindo pelo menos um filme por ano, Woody escreve aqui um embate entre um artista inglês arrogante e ateu e uma jovem e sedutora vidente.

 

Abusando de seus diálogos afiados e boa escolha do elenco, Allen faz um filme simples, romântico e por vezes inocente para falar de magia, religião, fé e amor.

 

Sobre tudo, é um filme que aborda a necessidade humana em abandonar a lógica para crer em meios invisíveis de apoio.