O Grande Hotel Budapeste

 

 

O excêntrico e perfeccionista Wes Anderson retorna à direção com seu cinema inconfundível. Metódico como poucos, ele continua com sua fórmula de personagens bizarros e cativantes, elenco numeroso, fotografia vibrante com riqueza de detalhes, simetria no enquadramento, diálogos rápidos e roteiro certeiro.

 

Anderson narra a história de um concierge do famoso hotel no leste europeu durante a instabilidade política da década de 30. Um homicídio, um quadro valioso e teorias conspiratórias fazem parte do cenário que ele terá que lidar.

 

Um filme delicioso e original que nos oferece um certo encanto perdido do cinema atual. Alia-se a tudo isso um Ralph Fiennes no auge e tens um filme espetacular. Magico!