Próximo
Próximo
Próximo
Próximo
Próximo
Próximo

Roma

Produção da HBO que teve um fim precoce (durou apenas duas temporadas), apesar de ter sido um sucesso de crítica e público e ter recebido inúmeras nomeações para importantes prêmios teve seu cancelamento sancionado devido aos enormes custos de sua produção. O drama histórico se inicia em 52 a.c., quando o general romano Júlio César derrota seu inimigo Vercingetórix na região da Alésia, teatro da batalha decisiva das Guerras da Gália. A história detalha a vida de dois históricos legionários citados nos relatórios militares das Guerras da Gália de Júlio César, Lúcio Voreno e Tito Pulo, ao passo que narra a tentativa de César em transformar a República em um Império lutando pelo comando de Roma contra o cônsul Pompeu.

Considerado o seriado mais caro da TV (até 2008) com orçamento de cem milhões de dólares por temporada, Roma é uma combinação única de uma megalomania financeira e técnica onde seu colossal investimento é diretamente proporcional à excelência de sua produção. Desde os cenários reproduzidos à perfeição ao elenco diversificado e extremamente competente tudo que se vê é o esforço e comprometimento imaculado de profissionais para com a arte. Grandes atuações, roteiro e fotografias primorosas e figurinos de primeira linha garantem um padrão de precisão formidável e a imersão imediata e minuciosa no cotidiano romano daquele período.

Nesse estudo antropológico composto por episódios que mais parecem aulas de História, as intrigas palacianas deixam os bastidores por detrás das cortinas para escancarar a política devassa de um Império em formação. De tão vasto e poderoso, o Império Romano foi modelo para quase tudo, da revolução francesa à ditadura nazista seu legado é sentido até hoje e provavelmente perdurá assim, acompanhando a humanidade. Lá encontra-se a origem do português, francês, espanhol e diversos outros idiomas além de ter sido responsável também pela difusão do calendário e o estudo do direito como ciência.

No século 1, quando o Império Romano era o centro do mundo e se estendia da Bretanha (atual Inglaterra) à Pérsia (atual Irã), ele chegou a ter 80 mil quilômetros de estradas criando um meio de comunicação de um lado para o outro do império confirmando a velha máxima de que todos os caminhos levam à Roma. Tanto para os admiradores de obras visuais pertinentes quanto para os amantes dessa civilização que cultuava o espetáculo como nenhuma outra, encarar a maratona de suas duas temporadas é mais do que um exercício, é obrigação.

por Elmar Ernani