Próximo
Próximo
Próximo
Próximo
Próximo
Próximo

Spotlight

 

 

Baseado em uma história verídica, mostra a luta de uma equipe de jornalistas da cidade de Boston para expor vários casos de abusos de crianças causados por padres católicos, e que a Igreja além de ter conhecimento dos fatos, ocultava-os na surdina de forma sistemática e vil.

 

Contando com um elenco diversificado e extremamente competente, Tom McCarthy realiza seu melhor e mais contundente filme da carreira, trajetória que já conta com os interessantes O Visitante (2007) e Ganhar ou Ganhar (2011). O filme é lançado um ano após o fraquíssimo Trocando os Pés (2014) - uma equivocada parceria com o famigerado Adam Sandler. Spotlight tende a ser, possivelmente, o marco que delimitará uma evolução substancial na forma de filmar do diretor; um filme sério, tecnicamente perfeito com uma direção de elenco pontual e relevante e sobre um tema crucial, que não pode ser ignorado sob circunstância alguma.

 

Apesar de politizado, afinal isso é Hollywood, McCarthy respeita a essência do jornalismo investigativo ao tratar o assunto de forma realista, sem heroísmos, tanto na abordagem dos crimes sexuais quanto no decorrer da investigação por parte de seus protagonistas. A apuração dos fatos, neste ofício, é um processo penoso, delicado e contínuo, visto que eles não surgem de forma íntegra e totalizada, e o método de conhecimento pressupõe a coleta desses fragmentos, a verificação de uma conexão entre eles e a consequência do que foi apreendido, para enfim poder enxergar o cenário completo.

 

Todo o procedimento de pesquisas, entrevistas, observação direta, checagem e rechecagem são narrados em consonância com a realidade. A busca por documentos e provas é obssessiva, fazendo jus à complexidade da situação, afinal de contas a barbárie é consumada, até hoje, dentro das sacristias e engana-se quem pensa que essa é uma prática que ocorra com raridade.

 

A Igreja, na proteção de seus benefícios, regalias, influência e prestígio transmitidos de geração em geração - como aquela velha história que contada incontáveis vezes acaba tornando-se genuína - sempre recorreu a manobras capciosas para se manter, por incrível que pareça, relevante, Spotlight revela uma delas.